O LUGAR QUE ATRAI O LUXO MODERNO E AS CABEÇAS CRIATIVAS DE NOVA YORK

 
Você pode ter viajado a Nova York dezenas de vezes. Mas, sempre sai de lá com um gostinho de quero mais, e com a certeza de que precisa (e vai) voltar, seja para visitar aquele novo museu, curtir a vista deslumbrante de um rooftop ou conhecer o lugar que está fazendo a cabeça dos mais descolados. E o sucesso do momento na cidade norte-americana que mais se reinventa é Lower Manhattan.
 
Battery Park                     Fotos Four Seasons/Divulgação
 Próxima à icônica Estátua da Liberdade e ao porto, a região onde tudo começou em Nova York, séculos depois renasce das cinzas, literalmente. Ferido de morte pelo ataque terrorista de 11 de setembro, que transformou em pó as torres gêmeas, Downtown ganhou novo fôlego com a reconstrução do World Trade Center, que ressurgiu ainda mais imponente.
O descolado Soho, em Lower Manhattan
 
 E, nos últimos anos, uma nova comunidade também começou a emergir em meio aos antigos bairros, como Tribeca, Soho e Wall Street.
World Trade Center
 
 Jovens, famílias, novos escritórios para diferentes modelos de negócios, hotéis cinco estrelas e lojas de departamento conceituadas fazem hoje do antigo distrito financeiro um lugar efervescente. Um local para viver, e não apenas trabalhar.
 Ali, por exemplo, foi construído o Whitney Museum of American Art, o que também resultou na abertura de inúmeras galerias de arte, bares e restaurantes.
O Distrito Financeiro
   Lower Manhattan é o novo centro de criatividade, reunindo startups de finanças e de tecnologia, além de gente moderna e os chamados influencers das áreas de publicidade e mídia digital. Estima-se que mais de US$ 30 bilhões já foram investidos na região.
LUXO CONTEMPORÂNEO

 A tradicional loja de departamento Saks Fifth Avenue está abrindo na região a  segunda unidade em Nova York ao longo dos seus 114 anos de história.
 Batizada de Saks Downtown (sem o Fifth Avenue), fica próxima ao World Trade Center e vem, com arquitetura moderna, design impactante, novas marcas e um look mais fresh, como pede o luxo contemporâneo.
 A flagship, que custou US$ 250 milhões, também está mais ousada nos serviços, com seções gigantes dedicadas à beleza e aos serviços diferenciados, como o Power Lunch, em que o cliente pode fazer uma consulta de estilo ou um tratamento de beleza, que inclui o almoço. Tudo em apenas uma hora, como pedem esses tempos acelerados.
NOVO CINCO ESTRELAS

  É claro que a hotelaria também se rendeu a Lower Manhattan. A Four Seasons, uma das maiores redes de hotéis de luxo do mundo, acaba de inaugurar o Four Seasons New York Downtown, a apenas um quarteirão do WTC, que também inclui o conceito de residências.
 O cinco estrelas oferece ainda como diferencial o primeiro restaurante do estrelado chef Wolfgang Puck em Manhattan.
 Prestando um tributo à arquitetura do início do século 20, o novo prédio, de 82 andares, e 189 apartamentos, já marca presença no disputado skyline da cidade, com o mais alto residencial de Downtown. Tem ainda um super spa, uma piscina deslumbrante e academia 24 horas para uma cidade que nunca dorme.
  
  No 24º andar, a Royal Suite, de 223 m², traz a melhor vista de Lower Manhattan. A diária (a partir de US$ 12 mil) dá direito a um transfer de limusine ou de helicóptero, além de uma massagem de 80 minutos, entre outros mimos, como jantares privés preparados pelo chef.

  O hotel está perto de lojas e restaurantes descolados do Soho e, de táxi, dos bares e nightclubs do Meatpacking District, além de uma caminhada pelo porto. Para chegar ao Brooklyn basta cruzar a ponte.
  Tem como não amar Nova York e sua imensa capacidade de se reinventar?

#lowermanhattan, #newyorkcity, #downtown, #fourseasonsnydowntown

A CAPITAL MUNDIAL DOS PERFUMES DE LUXO. ONDE FICA? NA FRANÇA, É CLARO!

Se você gosta de flores, muitas flores, e das mais refinadas essências, com certeza, vai se encantar com Grasse, no sul da França, considerada a capital mundial da perfumaria.  Ela é o berço dos perfumes de luxo.
  

  Grasse não pode ser considerada uma cidade como outra qualquer: há 200 anos reina absoluta na fabricação de perfumes que entraram para a história. Ali, foram criados os perfumes ChanelDior e Rochas. O mítico Chanel nº 5 também foi inventado com as flores (rosas e jasmins) mais as técnicas dessa cidade medieval, rodeada de montanhas e ar fresco!

 
                                                                                                                                 Fotos Dior
 As marcas Louis Vuitton e Christian Dior, do grupo LVMH, acabam de abrir Les Fontaines Parfumées, no coração da cidade, para concentrar a fabricação de fragâncias, com um laboratório hi tech. A iniciativa trouxe Grasse de volta ao cenário internacional.

 Mas, a paixão de Dior pelo sul da França, leia-se Provence, começou muito tempo antes de ter fundado a Maison. Durante a Segunda Guerra Mundial ele se refugiou em Callian, não muito longe de Grasse, para onde sua família havia se mudado após a crise financeira de 1929.

 Ali, sua irmã tinha uma plantação de rosas. O clima especial da região, a tranquilidade, a vegetação e os aromas tiveram impacto profundo sobre ele. Em 1947, Dior criava o seu primeiro perfume.

 Em 1951, ele comprou o Château de la Colle Noire, hoje restaurado pela Maison Dior, e que fica próximo ao novo laboratório criativo. O estilista transformou essa propriedade, rodeada de rosas e jasmins, em seu paraíso particular. Entre as rosas de Grasse, a mais famosa e perfumada é a Centifolia (100 folhas)

 Além dos campos de flores e de lindos jardins, a cidade é rica em arquitetura, com casas medievais, catedral, museus e bons hotéis, que a gente vai descobrindo quando caminha por suas antigas ruelas. Abriga também, claro, o Museu Internacional da Perfumaria, que foi totalmente renovado, tornando-se mais interativo e olfativo.


  Agora, com os investimentos do poderoso Grupo LVMH, Grasse ganha novo fôlego para manter  seu savoir-faire exclusivo na arte do cultivo das flores, que resultam em alguns dos melhores perfumes do mundo.

MODA E VIAGENS E PELO OLHAR DO FOTÓGRAFO BRUCE WEBER

 O top fotógrafo e cineasta norte-americano Bruce Weber já clicou algumas das pessoas mais famosas do mundo e fez trabalhos memoráveis para as maiores revistas internacionais de moda e marcas de luxo do planeta.

 Ficou também mundialmente conhecido pelas fotos dos calendários Pirelli e pelas campanhas da Calvin Klein, estreladas por Kate Moss, como nesta foto (acima) para um editorial da Vogue America, no Vietnã, em 1996. Mas ele mesmo nunca foi o centro das atenções.
  

 Só que essa história mudou. No último domingo, 18 de setembro, foi aberta, no Dallas Contemporary, nos Estados Unidos, a primeira retrospectiva dos 40 anos de carreira de Weber, hoje com 61 anos. Batizada de Far From Home, reúne 250 obras, a maioria das quais inéditas.

    Segundo o curador da mostra, Peter Doroshenko, o fotógrafo dispara cerca de 500 imagens cada vez que vai a um determinado local. E, na melhor das hipóteses, o público vê 3 ou 4 delas. Com espírito aventureiro e um olhar insuperável, Bruce viaja aos lugares mais exclusivos e exóticos do mundo, da Noruega para o Vietnã e até o Brasil, diz ele. Todos esses trabalhos foram resgatados do imenso arquivo do fotógrafo.

 
Lago em Montana, em 1999
A retrospectiva tem como tema central a moda, claro, mas as viagens aparecem em 2º lugar. E a maioria das fotos da mostra são em preto e branco. Só nos últimos anos é que Bruce começou a trabalhar com a cor. A exposição ficará em cartaz por cinco meses.

   
O trabalho de Bruce Weber no Rio, que ficou famoso ao redor do mundo
 Para o curador, é realmente difícil eleger o melhor trabalho de Bruce Weber, mas o que mais lhe causou impacto foi o Projeto Rio de Janeiro, de 1987. “Estas imagens, com jovens musculosos, usando nada além de uma cueca confortável, são tão quentes e sexy que você começa a suar só de olhar para elas”.

  Weber, no entanto, não vê erotização em seu trabalho. Em recente entrevista à Folha de S.Paulo, ele disse que quando esteve no Rio ficou impressionado com a cultura de rua. "Eu pensava: como essas pessoas são naturalmente bonitas. Espero que nunca se tornem modelos."  

fotos Bruce Weber/Reprodução

#bruceweber #fotografia

FESTIVAL JAPA COM 30% DE DESCONTO EM SP E NO RIO


    Prepare-se para degustar muito sushi, sashimi e hot rolls. É que a culinária japonesa vai estar 30% mais em conta até o próximo domingo, dia 18. Tudo por conta do Restorando Japa Fest, com várias opções de cardápios nas duas cidades.

  Você pode escolher entre o tradicional rodízio aos mais tradicionais pratos à la carte. Em São Paulo, participam da promoção os restaurantes A&C Sushi Bar, Black Sushi, Izakaya Taka Daru, Japs (Perdizes e Pompéia), Kai Sushi, Kiichi (Vila Mariana e Vila Olímpia), Koban (Moema), Nahoe (Itapura), Okawa Culinária Japonesa, Shibuya Sushi Lounge, Sushi Nodawa, Sushi Show, Sushimasa, Temakeria e Cia (Tatuapé), Theodora Sushi e Tsuyoi Sushi Bar.

 Já no Rio, as opções são os restaurantes Pe'ahi (New York City Center), Japa Mundi, Daytan (Barra da Tijuca), Kazuaki Sushi Lounge, Sushi Akyrio, Kotobuki (Shopping Rio Design Barra), Kotobuki (Botafogo Praia Shopping) e Daytan (Freguesia).


 Esse desconto não é aplicado às bebidas e taxas de serviço. O Japa Fest é organizado pelo Restorando, plataforma líder em reservas online na América Latina. Para reservas e escolhas, consulte o site http://eventos.restorando.com.br

MARCAS DE LUXO RECUPERAM PATRIMÔNIO HISTÓRICO MUNDIAL


  Um movimento muito interessante acontece hoje no mercado de luxo.  Grandes marcas internacionais associam seus poderosos nomes à restauração de monumentos públicos e históricos. E a Itália tem sido uma das mais beneficiadas dessa nova, e muito positiva, estratégia de marketing.
  
 No dia 21 de setembro, quarta-feira, a famosa escadaria de Trinità dei Monti, na piazza de Spagna, no centro histórico de Roma, será entregue novamente ao público. A restauração durou um ano e foi patrocinada pela joalheria italiana Bulgari, que desembolsou 1,5 milhão de euros.
  
 Com 135 degraus de calcário e mármore traventino, a escada ficou famosa por ter sido cenário de cinema. Foi ali filmada, por exemplo, uma cena histórica com Audrey Hepburn e Gregory Peck, em 1953, para o filme A Princesa e o Plebeu.

 Além de ser um dos locais mais fotografados para selfies, ela conduz à Igreja Santíssima Trinita dei Monti (ou Igreja da Santíssima Trindade dos Montes), cujo estilo renascentista resplandece lá do alto. As escadas foram construídas entre 1723 e 1726 e ao longo do tempo a obra acabou deteriorada por atos de vandalismo.


  Para os restauradores, os principais danos foram provocados por cigarros, vinho e chicletes. Tanto que eles discutem hoje proibir que o monumento seja ponto de encontro para comer ou beber em seus degraus.

CENÁRIO ÉPICO E FASHION
  

 A Fendi também impactou o mundo da moda, em julho último, ao realizar o desfile em comemoração aos 90 anos da marca na Fontana di Trevi, outro monumento na top list dos mais famosos da capital italiana, que se transformou em passarela, e que foi totalmente restaurado por ela.

  As modelos desfilaram sobre uma plataforma de vidro instalada dentro da fonte, toda iluminada, arrancando suspiros dos convidados sentados ao redor e em frente ao monumento. A tradicional marca italiana vai restaurar outras fontes da cidade.  Enquanto isso, a marca de calçados de luxo Tod´s está reformando o Coliseu e o fundador da holding da marca de jeans Diesel banca a restauração da Ponte de Rialto, em Veneza.

TEMPO DO PÔR DO SOL   
Mais de 150 anos após a abertura de sua primeira Bottega di Orologeria, a Officine Panerai também está restaurando o famoso relógio do Duomo, de Florença, a poucos metros de sua própria boutique histórica, fundada em 1860.

 Pintado pelo grande artista renascentista Paolo Uccello (1397-1475), ele é um dos relógios mecânicos mais antigos ainda existentes e um dos poucos em operação com o mostrador de indicação da Hora Itálica, que mede o tempo entre um pôr do sol e o próximo. 

  O Brasil também não ficou fora dessas iniciativas do mercado de luxo. No final de maio, a  Louis Vuitton escolheu o Museu de Arte Contemporânea, conhecido como MAC Niterói, no Rio de Janeiro, para exibir a coleção Cruise 2017. A capital dos jogos olímpicos 2016 despontou para o mundo.

  Com transmissão online em tempo real pela maison, a arquitetura futurista do MAC, projetada por Oscar Niemmeyer, virou cenário internacional e assunto das revistas de moda mais importantes do planeta. A LV também se comprometeu a auxiliar a programação cultural do museu, que ficou fechado para reforma e reabriu em grande estilo.

  O verdadeiro luxo é preservar nossas memórias!

LOOKS DE VIAGEM: VOCÊ SABE SE VESTIR A BORDO?

  Nos anos 1950/60, viajar de avião era sinônimo de glamour, em todos os sentidos. As pessoas se vestiam formalmente, usando chapéus, luvas e lindos casacos, especialmente nos países mais frios. 

                                                                                                                  Fotos Pinterest
  
  Eram recepcionados com boa comida e bebidas à vontade – mesmo nas classes econômicas. Sem selfies ou celulares, os fotógrafos faziam plantão no aeroporto para fotografar os famosos, que geralmente eram clicados, acenando da escada do avião.

  O mundo mudou, as viagens aéreas ficaram populares, os assentos, espremidos, os voos, lotados, e os passageiros, cada vez mais informais – alguns além da conta. Hoje, o glamour a bordo é zero.

  Claro que ninguém aguenta passar mais de 8 horas voando com roupas cheias de botões ou sapatos apertados. É preciso conforto para encarar uma longa viagem. E a moda está bem mais democrática. Cada um se veste como quer. Mas há limites.

  Nada justifica voar de chinelo, bermuda ou camiseta surrada, como se estivesse caminhando pela calçada da rua onde mora. Mesmo em voos domésticos, para lugares com altas temperaturas, como no Nordeste, é deselegante usar shorts ou microvestidos, ou até mesmo roupas de ginástica, como se fosse desembarcar direto na praia. 

 
                                                                                                                                    Fotos Pinterest
Quando temos uma festa ou um compromisso social, nós nos arrumamos, certo? A viagem, não importa a distância, ou continente, também é uma ocasião especial.

  Seja a trabalho, onde estará representando a empresa, ou a lazer, afinal você está saindo para respirar novos ares, conhecer pessoas e não sabe quem encontrará a bordo ou no desembarque.

  Assim, é preciso um mínimo de bom senso, porque não será mais um na multidão. As pessoas reparam. A tripulação observa muito a maneira como o passageiro (a) se apresenta e se comporta. Já imaginou desembarcar em um aeroporto europeu, mesmo que seja no verão, de chinelos?

 Alguns comissários se sentem intimidados e até mesmo desrespeitados diante do look de certos passageiros. Outros elogiam quem está bem vestido ou deixar um suave rastro de perfume no ar.

  Já ouvi frases do tipo: “Que lindo seu casaco. Obrigada por voar assim. Hoje, ninguém mais faz isso.”. Ou então: "Que perfume você está usando? É delicioso". Se esses não são bons motivos para estar bem vestida  no avião, eu não sei quais seriam.

  Ninguém precisa embarcar como se estivesse indo para uma festa de gala, mas estar confortável é bem diferente de se apresentar desleixado. E isso vale para homens e mulheres. Não são apenas as roupas femininas que chamam a atenção. Rapazes e executivos elegantes, mesmo que casualmente, também fazem toda a diferença.

6 DICAS IMPORTANTES
  
Conforto com estilo: roupas confortáveis e acessórios são fundamentais
  Além disso, há outros fatores que são influenciados pelo seu look. Caso haja a chance de upgrade, as companhias aéreas não vão escolher alguém desleixado para dividir as poltronas business ou first class com seus melhores clientes.

  Estará se sentindo melhor consigo mesmo. E não há nada melhor do que uma autoestima bem tratada.

 Sabendo escolher roupas adequadas, também vai economizar espaço na mala.

 Você vai tornar o trabalho mais agradável para a aeromoça ou comissário de bordo.

 Os aviões também são seus locais de trabalho. E ninguém quer encontrar alguém de bermudas e tênis surrados.



CHAMPANHE ROSÉ COM GELO? OUI!

 Gosta de champanhe?  Então, se prepare porque o verão ganha um toque extra, e cinco estrelas, na versão on the rocks. A Moët Chandon vai lançar em novembro a Ice Impérial Rosé. Essa categoria é a primeira do mundo criada especificamente para ser servida com gelo.
  
 Ideal para ser degustada ou compartilhada com os amigos, a Moët Ice Imperial Rosé segue o mesmo estilo (criado há cinco anos) da Ice Impérial, que quebrou as tradições na arte de beber champanhe.

  “Criamos o primeiro champagne especificalmente concebido para ser degustado com gelo e agora trazemos essa experiência para a ‘expressão rosé”, diz Stéphane Baschiera, CEO da Moët & Chandon.

  A bebida tem um rosa vívido e brilhante com reflexos dourados. Seu aroma frutado vem principalmente das frutas vermelhas, cerejas morello, cherry, groselha e cranberry com nuances de frutos, como figo e nectarina mais uma nota de grenadine. Assim, seu paladar equilibra frescura e acabamento refrescante, ganhando nota agridoce de grapefruit rosa.  

  E tem mais: a novidade vem acompanhada de uma playlist by Moët Chandon. São 10 faixas exclusivas, perfeitas para a trilha sonora de tardes ensolaradas com direito a um belo pôr do sol. Está disponível para download gratuito em www.moet.com

4 DICAS PARA SERVIR

Gele a garrafa de Moët Ice Impérial Rosé a 8°C.
Escolha uma taça de vinho com boca larga.
Coloque 120ml de champanhe (uma garrafa equivale a 6 drinques).
Adicione 3 cubos de gelo.


Você ainda pode personalizar o sabor, com folhas de hortelã, lascas de casca de limão, lascas de gengibre etc.
 Santé!

#moetmoment #moetchandon