SHOPPINGS DE SÃO PAULO TÊM QUEDA DE 40% NO FATURAMENTO E FECHAM 24 MIL VAGAS!


   Dois meses após a retomada gradual das atividades nos shoppings de São Paulo, os resultados são frustrantes: o faturamento dos lojistas está em média 40% inferior ao percentual registrado antes do início da pandemia. 


  Para o setor, as restrições de horário impostas pelo governo estadual e o receio dos clientes em voltar a consumir dificultam a recuperação. Além disso, os consumidores estão se acostumando a comprar online para evitar aglomerações.

  Até agora 24 mil vagas foram extintas no estado e 10% das lojas (cerca de 3,2 mil) fecharam as portas. Já no Brasil, 12 mil lojas encerraram as atividades, relata a Associação Brasileira dos Lojistas de Shopping (ALSHOP).

   A associação e outras entidades ligadas ao comércio defendem a ampliação do horário comercial, hoje de seis horas por dia. 

  "Já adotamos 20 protocolos sanitários com sucesso e defendemos uma abertura de no mínimo oito a dez horas diárias, permitindo que os shoppings funcionem na hora do almoço", diz Nabil Sahyoun, presidente da ALSHOP.

   









SOS ILHAS MAURÍCIO: PEIXES E PÁSSAROS APARECEM MORTOS DEPOIS DO VAZAMENTO DE ÓLEO!

    As Ilhas Mauricio, na África, dão sinais de mais um estrago ambiental provocado pelo homem neste santuário de vida marinha no Pacífico: enguias mortas surgiram no mar azul-turquesa, hoje tingidas de óleo.

  Os peixes foram encontrados por voluntários locais que tentam limpar os danos às praias mais intocadas desde que um navio japonês vazou cerca de 1 mil toneladas de óleo, no dia 25 de julho. 

   A embarcação atingiu um recife de coral na costa sudeste do país insular africano, que agora teme uma grave crise ecológica. O governo declarou estado de emergência.     

  Além das enguias, também estão morrendo estrelas do mar, caranguejos e pássaros contaram ativistas à Reuters. 

  O temor aumenta porque o navio ainda acumula cerca de 2 mil toneladas de petróleo e pode eventualmente se quebrar, disse o primeiro-ministro Pravind Jugnauth. Para ele, "o país deve se preparar para o pior".

  O turismo é uma das principais fontes de renda das ilhas, famosas mundialmente pelas águas transparentes, lagoas, muita vida selvagem, praias de areia branquinhas e resorts de luxo.

  O que mais revolta a população e os ambientalistas é o fato de o navio ter ficado mais de duas semanas encalhado antes que começasse a vazar óleo e fossem tomadas providências.

  A Mitsui OSK Lines, empresa proprietária do navio, pediu desculpas pelo acidente, dizendo que "fará o melhor para resolver a situação rapidamente". Como? Ainda ninguém sabe! 







LIBANESES COLOCAM FORCAS NAS RUAS COMO SÍMBOLOS DE SEUS GOVERNANTES!

     Cresci ouvindo minha avó paterna dizendo: "Sou como o cedro do Líbano; me curvo, mas não quebro". Esse mantra me acompanhou durante toda a vida e agora volta à memória, ainda com mais força, quando vejo os protestos que tomam conta das ruas de Beirute neste início de agosto.

   As imagens são tão impressionantes quanto às da dramática explosão no porto da capital, que matou 168 pessoas, deixou outras 6 mil feridas e cerca de 300 desabrigados.

  Mas, os efeitos da tragédia agora parecem menores diante da gigantesca ira dos libaneses com os seus políticos. 


   Eles estão há três dias nas ruas para exigir mudanças radicais no país devastado pela corrupção, pela miséria, pelo coronavírus e hoje pelos efeitos da explosão de 2.750 toneladas de nitrato de amônia, que estavam armazenadas há seis anos em um depósito do porto sem qualquer medida de segurança.    

   Além de bandeiras, foram à Praça dos Mártires, no centro de Beirute, "armados" com pás e vassouras visto que o governo ainda não começou a limpeza dos escombros. 

 Eles também improvisaram forcas nas ruas, que simbolizam a morte dos líderes políticos.
Reprodução/Twitter


    As forças de segurança tentaram conter a multidão. Mas, uma população acostumada a tantas guerras não se intimida com bombas de gás lacrimogêneo. 

   Há uma revolução instaurada no país. "Preparem as forcas porque nossa raiva não será extinta da noite para o dia", postaram os libaneses nas mídias sociais neste domingo (9).

   Como neta de libaneses, aprendi desde a infância que resiliência é uma das grandes características do povo deste pequeno país encravado entre as montanhas, miscigenado e que sempre esteve em meio a disputa dos antigos impérios.

   Também aprendi que quando se enfurecem não há nada nem ninguém que possa contê-los. 
  
   Tal como a fênix, o Líbano renasceu das cinzas ao longo dos séculos. Será que a história vai se repetir? 
      

    

  

CHEGA DE MARKETING APOCALÍPTICO: BRASIL TEM 70% DE PACIENTES RECUPERADOS DO CORONAVÍRUS!

    O Brasil atingiu a marca dos 100 mil mortos por coronavírus, segundo dados oficiais.  Assim, a grande jogada do marketing político/apocalíptico neste sábado (8) foi uma espécie de "comemoração" das mortes. Quanta hipocrisia!

   Ela veio disfarçada de pêsames às famílias em editoriais e reportagens de jornais. Teve até luto nacional decretado pelo STF e pela Câmara dos Deputados em mais uma tentativa de responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro pelas vítimas fatais da covid-19.


   Porém, aqui vamos celebrar a vida: o Brasil tem hoje mais de 2 milhões de pacientes recuperados de coronavírus (cerca de 70%), sendo um dos líderes mundiais nesse ranking. E dos mais de 3 milhões de casos, 817,6 mil estão em acompanhamento.

   Apesar de tudo o que estamos vivenciando nestes últimos quatro meses - da roubalheira nas verbas da saúde, passando pela violação aos nossos direitos constitucionais, os ataques à liberdade de expressão e a crise provocada na economia -, há grandes vitórias. E muitas são atribuídas ao trabalho em equipe do atual governo. 

   Enxergar os fatos com mais clareza, fugindo à manipulação do sistema midiático apodrecido, é uma delas. Como é bom desmascarar a hipocrisia dos falsos pêsames - e isso é feito diariamente pelos brasileiros nas mídias sociais. O país deveria se vestir de branco e agradecer. Estamos vencendo o vírus!

   Lamentamos profundamente as 100 mil vidas ceifadas pela doença e, principalmente, pelo oportunismo político que a pandemia desencadeou. Foi, de fato, deprimente observar o comportamento tirânico de alguns governantes e seus contratos super faturados das verbas da saúde. Roubaram sem dó nem piedade! 

  Também lamentamos as milhares de mortes que ocorreram nas últimas décadas pela violência, impunidade, crime organizado e corrupção, nossos vírus endêmicos, e que hoje são ignorados pelo jornalismo de velório. Há muito tempo vivemos um apocalipse diário neste país e o coronavírus não tem nada a ver com isso. 

   Mas, somos sobreviventes, um povo forte. As mudanças virão e vão evitar que outros milhares morram pelo descaso de alguns dos políticos, com o apoio dos chamados "formadores de opinião". 

   Os interesses ideológicos de pequenos grupos sanguessugas não irão mais se sobrepor às necessidades desta grande nação. Este é um caminho sem volta e suprema será a luta do povo brasileiro! 


   


AS ROSAS DA RAINHA: JARDINS SECRETOS DE WINDSOR ABREM AO PÚBLICO!

      Os jardins particulares do Castelo de Windsor, uma das residências oficiais da rainha Elizabeth, serão pela primeira vez abertos ao público em mais de 40 anos.

  E a paisagem promete: há mais de 3,5 mil roseiras plantadas ao redor de uma bela fonte e que foram um dos cenários da rainha durante a pandemia de coronavírus.

  Ela passou os últimos quatro meses isolada no castelo ao lado do marido, o príncipe Phillipe. O casal está agora na Escócia. E o jardim poderá ser visitado aos finais de semana de agosto e setembro.

   Os jardins, que emolduram o terraço no lado oriental do castelo,  foram construídos nos anos 1820 durante o reinado de George 4º e atravessaram os séculos, servindo de inspiração e lazer para muitos monarcas.

  Eles foram repaginados pela rainha Victoria e pelo príncipe Albert no século 19. A aparência atual data de 1971, sob o comando do príncipe Phillipe.

  Lindo, não?






GOOGLE EXCLUI MAIS DE 2,5 MIL CANAIS DO YOUTUBE LIGADOS À CHINA!


   O Google excluiu mais de 2,5 mil canais do YouTube vinculados à China. A operação aconteceu entre abril e junho de 2020 "para eliminar a desinformação" na plataforma de compartilhamento de vídeos.

   Segundo o Google, a remoção dos canais faz parte de "uma investigação em andamento sobre operações de influência ligadas à China", relata a Reuters.   

   Esses canais geralmente publicavam "conteúdo não político e com spam", mas um pequeno subconjunto falava sobre política, disse a empresa em um boletim trimestral sobre operações de desinformação. 

   A Embaixada da China nos EUA não comentou a decisão. O Twitter também removeu recentemente milhares de contas com esse mesmo objetivo.








VERÃO EUROPEU: NOVOS CASOS DE CORONAVÍRUS PREOCUPAM PAÍSES!

     Seria uma segunda onda? Vários países registraram aumento no número de casos de 25% a 200% nas últimas duas semanas. E, para a tristeza de turistas e moradores, alguns bloqueios recomeçam em plena temporada de verão.

  O primeiro-ministro da Grécia pediu ao país que mantenha o distanciamento social depois de registrar 121 novos casos no início desta semana, a maior contagem diária desde 22 de abril.

  A Itália, que foi o epicentro da pandemia no continente, conseguiu evitar o aumento, mas agora há dois navios de cruzeiro em quarentena no porto de Civitavecchia, em Roma.  

 A Espanha registrou 8,5 mil novos casos de covid-19 no último fim de semana. Um resort de luxo foi fechado em Maiorca para desinfecção, depois que dez pessoas do seu staff ficaram doentes. Duas outras cidades ao norte de Madri também sofreram lockdown. 

 A Finlândia voltou a considerar que as pessoas trabalhem em casa sempre que possível. O fim do trabalho remoto tinha sido suspenso em 30 de julho.

  Mas, os casos no país aumentaram mais de 300% nas últimas duas semanas. O pico da pandemia ali foi em março/abril. Sorte dos finlandeses que aproveitaram o verão com mais tranquilidade. Só que agora a história mudou de novo.

   A França também tem um crescente número de casos, com 1.219 casos por dia contra uma média em torno de 700 há duas semanas. As autoridades do país consideram a situação "sob controle", mas precária. 


  O Reino Unido enfrenta situação semelhante, com novos casos e a volta do fechamento de bares, pubs e restaurantes em algumas regiões da cidade. 

   Ao que tudo indica, esse vírus não vai embora tão cedo e muito menos respeita quarentenas. Nós é que teremos de nos adaptar a ele!