VAMOS A MARRAKECH?

6.11.13 Simone Galib 0 Comments



Entardecer em Marrakech, no Marrocos: cenário exótico

Sonha em pousar em Marrakech, uma das cidades mais exóticas do Marrocos? A partir de dezembro vai ficar bem mais fácil. É que a Royal Air Maroc começará a voar para o Brasil, com três frequências semanais, ligando São Paulo a Casablanca, a capital marroquina. A companhia aérea deixou de operar no Brasil em 1992. Agora, os voos partirão de Guarulhos, às terças, quantas e sextas. E devem incrementar ainda mais o fluxo de brasileiros –só no primeiro trimestre deste ano 10 mil voaram para este país, entre a costa africana, montes nevados e o deserto do Saara.

  E se for mesmo a Marrakech, uma das cidades mais famosas de lá a 237 km de Casablanca, minha sugestão de hospedagem é o Palais Namaskar, uma das obras primas da Coleção de Hotéis Otker, que tem um hotel mais lindo do que o outro em vários países do mundo.

O Palais Namaskar: um autêntico palácio árabe, em Marrakech
  Inaugurado em 2012, esse hotel e spa de luxo é rodeado por 50 mil metros quadrados de jardins perfumados de inspiração balinesa e cercado de água por todos os lados. Há várias piscinas privativas, banheiras de hidro, cascatas e lagos, que ocupam nada menos do que 1,5 hectare da propriedade. A arquitetura, assinada por Imaad Rahmouni, ex-sócio do designer Philippe Starck, também é um highlight: ele conseguiu mesclar o estilo oriental e o contemporâneo requintado, dando ainda toques sutis mouriscos e andaluzes. A sensação é de se estar em um autêntico palácio árabe, cheio de magia, porém super moderno e luxuoso.

 
Um dos restaurantes do Palais Namaskar
O hotel fica fora da Medina –a cidade velha construída pelos muçulmanos na Idade Média e onde mora metade da população. Portanto, os hóspedes podem fazer várias atividades em seus arredores, como passeios em camelo ou a cavalo, trilhas, ciclismo nas montanhas Atlas ou golfe em um dos seis campos a apenas 45 minutos dali. Há ainda excursões mais top, como passeios de balão sobre as colinas Djebilet ou de helicóptero pelo Saara. Sobrevoar o deserto de helicóptero pode ser interessante, mas dá muito mais adrenalina fazer um off road de jipe para poder pisar na areia, sentir o sol escaldante e mergulhar naquele clima de imensidão. Se o passeio for de camelo, melhor ainda!

  A apenas 20 minutos do hotel, está a praça Iemaa El-Fna, considerada patrimônio mundial da Unesco, assim como as principais atrações da antiga Medina, cercada por muralhas, que mudam de tonalidade conforme a intensidade do sol. Reserve algumas horas para se perder entre as ruelas, descobrindo um pouco da cultura islâmica, que tem o comércio correndo nas veias. Visite os souks (os mercados). Você vai ficar enlouquecido com a enorme oferta de produtos, mas tenha muita paciência porque o assédio dos comerciantes, muitas vezes, chega a ser insuportável. Em um país árabe, fazer negócio é praticamente uma questão de honra. Dificilmente, eles lhe deixam sair da loja sem comprar algo, nem que seja um simples souvenir. E é preciso aprender –rápido- a arte de negociar. Um produto que começa inicialmente sendo oferecido por US$ 100 pode ser adquirido, depois de muito blá blá blá, por US$ 20.

Circular entre as ruelas da Medina é um dos melhores programas na cidade
  Detalhe muito importante: lembre-se de que está em um país muçulmano, onde as leis são mais rígidas, principalmente em relação ao comportamento e vestuário. As mulheres não mostram pernas, braços, pescoço e cabelos. Não precisa sair vestida a caráter, mas manter a discrição no figurino, mesmo sendo você um turista, é sempre de bom tom!
    

0 comentários: