NÃO ESTAMOS PREOCUPADOS COM O NÚMERO DE MANIFESTANTES NAS RUAS

17.8.15 Simone Galib 0 Comments



  Muitas imagens das manifestações deste 16 de agosto continuam repercutindo no mundo. Os principais jornais internacionais deram destaque ao domingo ensolarado de inverno em que os brasileiros foram às ruas, pacificamente, e expressaram toda a sua indignação diante de uma crise sem perspectivas de resolução a curto prazo. Não há "acordão" que possa calar a boca de uma nação inteira.


Ao contrário das duas últimas manifestações, nesta a população mostrou estar mais focada, melhor informada e ciente de que é preciso passar o país a limpo - e a jato! No Rio a praia ficou mais vazia e a orla, forrada de pessoas. Em São Paulo, a avenida Paulista foi tomada por milhares de pessoas.

 O boneco inflado gigante de Lula, vestido de presidiário, que circulou em Brasília, virou meme na internet, foi alvo de fotomontagens hilárias (surgindo em capas de disco, filmes etc) e ganhou até conta no Twitter. Segundo a revista Época, a alegoria, de 12 metros, criada pelo grupo Movimento Maceió, foi encomendada a uma empresa de São Paulo e custou R$ 12 mil. O investimento repercutiu... 



  
Fotomontagem feita pelos internautas com o boneco

 Como escreveu nesta segunda (17) o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em sua mídia social, persiste o sentimento popular de que o governo, "embora legal, é ilegítimo". Falta-lhe a base moral, que foi corroída pelas falcatruas do lulopetismo." Suas palavras também provocaram impacto. 

 Não importam os números, se as manifestações foram maiores ou menores em relação aos últimos movimentos. Esqueçam os índices dos institutos de pesquisa ou os oficiais, divulgados pela Polícia Militar. O que vale é o contexto, é ver uma grande parte da população dizendo basta a tudo que aí está e pedindo o fim da corrupção escandalosa gerada por um governo, que ultrapassou todos os limites de impunidade e de má gestão.



IMAGEM SIGNIFICATIVA




 O movimento seria valioso mesmo se tivesse reunido somente cinco ou dez pessoas em cada esquina dos estados brasileiros.E também já teria um profundo significado, caso apenas os poucos cidadãos de Garanhuns e região, terra natal de Lula, em Pernambuco, fossem os únicos a exibir uma faixa em que pediam desculpas, justiça e a prisão de seu filho mais ilustre.

 A foto, postada nas mídias sociais, circulou na internet durante a madrugada, mas desapareceu ao raiar do dia. Para mim, foi a imagem mais significativa entre as milhares mostradas pelas ruas.




 QUE GOLPE?


  

  O país amanheceu nesta segunda (17) um pouco mais aliviado depois do desabafo compartilhado nas ruas. Não vivemos só de festa ou Carnaval. Somos um povo alegre, sim. Mas estamos preocupados com o estrago feito na economia; com a recessão que hoje já afeta praticamente todos os setores; com o desemprego, os altos índices de inflação, a violência, a má administração do dinheiro público e os bilhões desviados em propinas, articuladas por um governo que pensou estar acima do bem e do mal, em um projeto de poder, que jamais seria desmontado. 

 Queremos nossa nação de volta, soberana, mais justa, sem essa corrupção absurda, arraigada na raiz, e livre de tanta lama. Não por acaso o juiz Sergio Moro, da operação Lava-Jato, é um dos personagens da atual cena política mais respeitados no país.

 Acredito que a maioria dos brasileiros (mesmo aqueles que não tenham vivido os anos de chumbo da ditadura militar) esteja defendendo qualquer tipo de golpe. A democracia foi uma árdua conquista e deve ser mantida. Isso foi deixado muito claro pela maioria que saiu às ruas. 

 Aliás, nunca a democracia foi tão bem exercida neste país, seja nas manifestações pacíficas, nas prisões da Lava-Jato ou na investigação dos escândalos, que dia a dia derrubam as máscaras, para mudar a história.

  O grande golpe acontece mesmo diariamente no bolso e na dignidade dos brasileiros!



0 comentários: