A SUÍTE MAIS CARA DA AMÉRICA

13.9.15 Simone Galib 0 Comments




 Se está cansado de hospedagens básicas, já dormiu em alguns melhores hotéis do mundo, seja em viagens de trabalho ou lazer, e quer algo surpreendentemente especial, a rede Four Seasons tem a solução – desde que você (ou sua empresa) tenha uma ótima conta bancária ou um cartão de crédito com limite nas alturas.

 Trata-se da suíte Ty Warner Penthouse, em Nova York, cuja diária é de US$ 50 mil. Levou um susto? Não é para menos, afinal é considerada a mais cara da América, segundo o Business Insider. Mas, é claro, que neste preço estão incluídos alguns benefícios.


 A começar pela vista de 360º de Manhattan (é também a mais alta da cidade), que pode ser admirada de todos os ângulos, já que a suíte tem quatro varandas de vidro.

 Tem mais: elevador privativo, livraria, quarto zen, mordomo 24 horas, um motorista com Rolls-Royce à disposição, personal trainner e um conciérge, especializado em arte, para ajudá-lo a conhecer a coleção do hotel. Caviar, champanhe e massagens podem ser usufruídos à vontade. Nada mal, hein?


 Outro diferencial é o seu tamanho: são 400 m², o equivalente à metragem de um quarto de palácio, tratando-se de Nova York, ou ao tamanho de uma quadra de basquete da NBA.

 A decoração é repleta de peças artesanais, algumas em ouro feitas sob medida, e tem até um piano de cauda. No quarto, de 56 m², há toques de seda tailandesa. A sua construção durou sete anos e custou US$ 50 milhões. 


 Ainda continua assustado? Pois saiba que a big suíte – onde já se hospedaram celebridades e jet-setters – acomoda mais três pessoas e vocês podem dividir a conta. Talvez, seja uma saída!

 A título de curiosidade, a revista The Economist fez uma comparação do que você poderia comprar pelo mesmo valor, caso desistisse de passar uma noite de rei na Ty Warner Penthehouse. Veja só:

 Cinco passagens aéreas de primeira classe para fazer uma volta ao mundo; uma casa de férias na Bulgária, com piscina; hospedagem por um ano inteiro em qualquer hotel três estrelas de Nova York, com taxas atuais; uma Mercedes Benz CLA5; e, por fim, quatro garrafas de Henri Richebourg Grand Cru, o vinho mais caro do mundo.

 Faça as contas e boa viagem!

0 comentários: