IMPRENSA INTERNACIONAL ALERTA TURISTAS SOBRE OS PERIGOS DO RIO NAS OLIMPÍADAS

18.7.16 Simone Galib 0 Comments

 
   A duas semanas da abertura dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, sites internacionais de viagens produzem matérias para orientar o visitante a se manter seguro na cidade maravilhosa, ou melhor, perigosa.  E alguns não economizam nos alertas, como se estivessem falando a um turista prestes a desembarcar em uma zona de guerra.

   Alguns dos principais jornais do mundo também demonstram sua preocupação em relação à falta de infraestrutura para a realização de um evento desse porte no Rio de Janeiro. Um dos colunistas do The Washington Post escreveu que, se acontecer alguma tragédia, a responsabilidade será inteiramente do COI (Comitê Olímpico Internacional).

 O site World Nomads, em sua seção sobre viagens seguras, abre o texto com um vídeo, classificado pelo editor, Phil Silvester, como chocante. Nem vou reproduzir o vídeo nesse post, porque as cenas de um arrastão, infelizmente, são rotina para nós.

 Silvester explica que essas imagens foram feitas antes da Copa do Mundo, no Rio, em 2014. O título do post é Rio Street Crime - tips  for visitors (Crimes de rua no Rio, dicas para visitantes).

 “As imagens mostram uma gangue vinda da favela para assaltar em uma movimentada rua de comércio”, diz o editor. E prossegue: 

 “Descaradamente arrancam joias do pescoço das pessoas, roubam celular, players de música e fone de ouvido, tentando ainda rasgar mochilas dos ombros dos transeuntes”.
  
 Para ele, “a coisa mais chocante é que ninguém tenta impedi-los, embora alguém pudesse dar-lhes um bom soco na cara ou um policial sacar sua arma”. Ele diz ainda que “os cariocas parecem aceitar a situação como normal ou pelo menos eles percebem que não há nada o que possam fazer sobre isso.”
 
O mapa publicado pelo World Nomad                    Foto reprodução
 A partir dessas observações e do vídeo – que realmente assusta qualquer um que venha de um país mais civilizado -, o site dá as dicas de como evitar crimes nas ruas do Rio de Janeiro.

    1) O centro da cidade é apenas um dos muito lugares onde simplesmente é melhor não ir. Há muitos locais perigosos no Rio, mas este é um dos mais notórios. Pergunte ao seu hotel sobre os lugares que devem ser evitados e compartilhe em segurança seus planos de passeios turísticos para ter certeza de que não irá a uma área problemática.

    2) Não use joias. Você já viu no vídeo quantas correntes e colares a quadrilha levou. Não seja mais um alvo. Esconda celular e câmera fotográfica. E esqueça de ouvir música, porque os fones de ouvido brancos mostram que você tem algum gadget na bolsa.

     3) E se você resistir? Provavelmente poderá viver uma situação desagradável. Lembre-se que a maioria dos habitantes não fez nada. Alguns entregaram seus objetos de valor para não correr riscos ou sofrer lesões.

A esta altura, o turista já deve estar sentindo frio na barriga e pensando duas vezes se vai valer a pena encarar a violência urbana em nome do esporte olímpico.

 O site vai além e aconselha-o a fazer seguro contra roubo, mantendo recibos de compra dos produtos que devem ser apresentados como prova em um eventual boletim de ocorrência.

 E também a vir com um seguro saúde “para cobrir despesas médicas decorrentes de um incidente em que você seja ferido.” É alarmante!

  Mas é assim que o Brasil, e especialmente a cidade sede das Olimpíadas, são vistos hoje no exterior. Cerca de 20 mil norte-americanos já desistiram da viagem. Eles estão errados?

 Claro que não. É impossível maquiar a realidade, muito menos dizer que há exagero ou ainda que essas informações sejam falsas para denegrir a imagem do país.
   
 O Brasil se candidatou a ser sede de mega eventos internacionais, que poderiam ser maravilhosos e positivos, se antes tivesse arrumado a própria casa para receber visitantes do mundo inteiro.

  Mas, as Olimpíadas acontecem no lugar e no momento errado. Porque o clima aqui é de instabilidade política, econômica e social – o que inclui o aumento da criminalidade.

 E, como se não bastasse, ainda há ameaças de atentados terroristas, conforme alertaram os serviços de inteligência internacionais -um quadro muito mais complicado do que na Copa, há dois anos.

  É bom lembrar que as dicas para os visitantes estrangeiros valem também para os brasileiros que irão aos jogos. Como aconselha o site, “é melhor não correr riscos”.
 Nós, os anfitriões, também sentimos muito medo!