NOS CINEMAS, A PRIMEIRA DAMA MAIS CHIC DE TODOS OS TEMPOS

30.11.16 Simone Galib 0 Comments

  Uma das primeiras damas mais elegantes que o mundo conheceu, Jackeline Kennedy Onassis, tem parte de sua história revisitada no filme Jackie, estrelado por Natalie Portman (vencedora de melhor atriz por Cisne Negro). E a boa notícia é que o longa já tem data de estreia no Brasil: 9 de fevereiro de 2017.

 O longa, que acaba de estrear no Brasil, é considerado forte candidato ao Oscar. A caracterização do elenco também ficou perfeita. Natalie Portman foi indicada como melhor atriz. O filme concorre ainda como melhor figurino e trilha sonora. Os personagens caracterizados ficaram perfeitos.  

 
Natalie Porter e Caspar Phillipson como JFK                                  Fotos Pinterest
 O enredo conta a história de Jackie a partir do momento em que ela precisa lidar com o trauma causado pelo assassinato do marido, o então carismático presidente dos EUA, John F. Kennedy. A viuvez inesperada muda completamente a vida da então jovem, mãe de dois filhos pequenos (Caroline, com 6 anos, e John Jr, de 3). 


 
O casamento de contos de fada na revista Life     Foto Pinterest
A vida de Jackie sempre foi digna de enredo de cinema, em que ela protagonizava em seu universo particular cenas de contos de fada (como o seu casamento, aos 24 anos, com JFK, presenciado por 3 mil convidados), escândalos extraconjugais do marido, traumas e funerais, exibindo um véu preto.

A cena do funeral na vida real e na ficção                                                   Foto Pinterest


 
Sunnie Pelant como Caroline Kennedy                                                   Foto Pinterest
A primeira dama representou um mix de estrela e ícone de elegância nos anos 1960.
 Chamava tanto, ou até mais, atenção do que o marido poderoso, roubando-lhe os holofotes nos cenários internacionais.


Porém, todo esse glamour tinha um preço alto. Antes de ficar viúva, ela precisou lidar com as inúmeras conquistas extraconjugais do marido (mulherengo assumido), que incluíam casos com secretárias e estagiárias da Casa Branca. Diz a lenda que entre suas amantes também estaria a atriz Marylin Monroe.

 Mas, Jackie segurou a onda com classe, comportando-se como uma autêntica first lady nos 1 mil dias de reinado na Casa Branca (de 1961 a 1963). Seu guarda-roupa, impecável, era copiado por mulheres do mundo inteiro.


Noite de gala fotografada por Arthur Rickerby             Foto Pinterest
 Elegante, não abria mão dos vestidos de grife, das luvas brancas, dos tons mais neutros e dos colares de pérolas. Um estilo atemporal, que até hoje inspira o universo fashion. 

 A viuvez não foi longa. Em outubro de 1968, Jackie volta aos holofotes por se casar com o milionário grego Aristóteles Onassis, inaugurando outro período de glamour, escândalos e infidelidades.

 
Jackie na loja da Chanel                                             Foto Pinterest
Nos últimos 30 anos de sua vida, Jackie se manteve isolada e sempre se recusou a falar sobre o passado, embora tenha inspirado mais de 25 biografias não autorizadas.


  Recentemente, foram encontradas, na Europa, 130 páginas de cartas que ela mandou para o sacerdote irlandês Joseph Leonard com quem se correspondeu durante 15 anos.

 
"Eu serei esposa e mãe primeiro, depois primeira dama", Jackie Kennedy Foto Pinterest
Algumas delas revelam que Jackie sofreu muito durante o luto, a ponto de escrever que preferia ter perdido a própria vida antes que a do marido presidente. Ela faleceu em 19 de maio de 1994.


 Agora, resta reviver na telona a história da mulher que deu um toque de nobreza à Casa Branca. 
  
   

0 comentários: