GOVERNO INVESTIGA EMPRESAS AÉREAS POR AUMENTO DE TARIFAS

20.10.17 Simone Galib 0 Comments

  O Departamento de Proteção de Defesa do Consumidor, do Ministério da Justiça, abriu processo administrativo contra as companhias aéreas do país para investigar o aumento de tarifas depois que entraram em vigor as novas regras da aviação civil, incluindo a cobrança de bagagens.

  Um dos mais fortes argumentos usados pelas empresas para aprovar a cobrança de malas era a redução dos preços das passagens aéreas. Mas, na prática, não foi o que aconteceu. Conforme, nós mostramos neste post do dia 7 de outubro, os passageiros estavam pagando para despachar malas e tarifas mais altas. Prejuízo duplo!    

  Dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do IBGE comprovaram: as passagens aumentaram 35,9%, segundo a FGV, e 16,9%, na avaliação do IBGE, entre junho e setembro. Além disso, as companhias elevaram o preço da própria franquia de bagagem, que no balcão de check in pode custar até o dobro da cobrança feita pelos sites das empresas aéreas.  

  Avianca, Azul, Gol e Latam e a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) serão ouvidas. As empresas porque aumentaram as tarifas e a Abear por ter divulgado um estudo, mostrando que o preço dos bilhetes havia sido reduzido de 7% a 30%, de julho a setembro. A multa pode chegar a R$ 9,5 milhões.

 Para o Departamento de Proteção ao Consumidor, as empresas aéreas e a Abear teriam feito propaganda enganosa, repassando informações falsas e omitindo outras relevantes ao consumidor.

  De fato, passageiros ainda estão bem desinformados sobre o assunto e andam confusos os embarques com gente carregando muita bagagem de mão para fugir dos custos com o despacho de malas. Coisas do Brasil!

         








0 comentários: