MENTIRAS: O LADO CRUEL DA ERA DIGITAL ONDE NEM TUDO É O QUE PARECE!

10.3.18 Simone Galib 0 Comments

 
  O que é verdade? O que é mentira? O que é real? E o que é virtual? Passei a última semana pensando sobre isso, porque parece não existir mais linha divisória entre essas questões. Está tudo junto, misturado e confuso!

 Muitas pessoas estão se perdendo ou fazendo com que outras se percam nos labirintos dos perfis falsos na internet e do consumo desenfreado de informações superficiais; outras bizarras. Tem gente ainda que mostra na rede uma vida que não condiz com sua própria realidade, tentando ser o que jamais foi.   

  As fotos do instagram não refletem necessariamente o mundo real. Aplicativos fazem incríveis maquiagens, mudam a cor dos seus olhos, do cabelo, o tamanho da boca (hoje aparecem enormes) com um simples toque. O photoshop define as medidas do corpo. Afina daqui, aumenta dali... e surgem as belas personagens (aliás, todas muito parecidas).

  Outros apps colocam a pessoa em cenários que ela só conhece de fotos. Basta fazer um recorte na imagem original, escolher o fundo preferido e pronto: em poucos segundos estará no alto da Torre Eiffel, em Paris, no topo de algum edifício de Nova York ou em uma praia paradisíaca das ilhas Maldivas, no meio do Pacífico - com direito a muitas curtidas e comentários.

     Só que tem um detalhe: ninguém consegue ser o que não é, ou o que não se preparou para ser. As mentiras até podem surtir algum efeito, trazendo uma certa fama, mas elas não se sustentam. Aliás, tudo o que é ilusório dura pouco, principalmente nas mídias sociais.

 
O jovem que 'criou' um falso restaurante em Londres
   Um caso recente mostra que "brincadeirinhas" virtuais são perigosas. No final de 2017, o britânico Oobah Butler, um rapaz de 26 anos e que colabora com um site,  inventou um restaurante em Londres, conseguiu registrá-lo no site de viagens TripAdvisor, usando apenas um celular, uma página da web e avaliações falsas enviadas por seus amigos.

A página do restaurante na web, a casa e as fotos de pratos reais e as publicadas

  As imagens do lugar eram da casa onde ele morava e os pratos de comida foram fotografados pelo próprio. Em pouco mais de quatro meses, o suposto The Shed at Dulwich (endereço tipo secreto que só atendia mediante reservas) era o restaurante número 1 no ranking do site. Os pedidos de reserva começaram a bombar. Críticos gastronômicos queriam conhecer a casa. Ele chegou até a vender comida congelada, improvisando jantares no jardim.

  Mas, a farsa acabou descoberta e o TripAdvisor eliminou o link. Só que ficou o alerta para os usuários e também para o mercado: o maior site de viagens do mundo, que oferece certificado de excelências, também pode ser facilmente fraudado.  
As fotos analisadas por especialistas mostram as evidências de manipulação nas imagens

  Em julho de 2017, uma blogueira de viagens, muito popular no instragam, foi acusada por alguns dos seus seguidores de estar manipulando as fotos dos destinos que postava ao redor do mundo.     
   O caso foi contado pelo jornal britânico The Times, que analisou várias fotos postadas por Amelia Liana, nos Estados Unidos e até na Índia. 

Na imagem real do skyline, a Torre da Liberdade
  Uma que mais chamou a atenção dos especialistas em fotos convidados pelo jornal foi a que ela admirava o skyline de Nova York. Na imagem, não aparecia o One World Trade Centre (a antiga Torre da Liberdade), que foi concluída em 2013 e, portanto, deveria estar na paisagem.

  No palácio Taj Mahal, na Índia, eles também estranharam os pássaros no céu, a sombra interrompida da blogueira andando ao redor da piscina e a falta de pessoas na foto em uma das atrações mais concorridas do país.   
  
   No dia seguinte à reportagem, a blogueira desmentiu as acusações em sua própria conta do instagram, mas tirou a foto do feed. 

  Nesta sexta, dia 9, li na mídia a história de uma outra blogueira americana que se prejudicou para aparecer no instagram em lugares luxuosos e restaurantes finos, mostrando um lifestyle que não era o seu.

  Ela conquistou 27 mil seguidores, mas também uma dívida de US$ 32 mil (mais de R$ 90 mil). No final, desativou as contas nas mídias sociais e precisou viver uma vida real para pagar suas contas. 

   Como diz o dito popular, o que vem fácil, vai fácil. Uma regra que está virando rotina nestes tempos de posts fake viralizados nas mídias sociais! Nada é o que parece na internet. Então, seja você mesmo e preserve o seu conteúdo, porque esse castelo virtual da fama é de areia!

    

0 comentários: