INÉDITO: ASTRONAUTA DA NASA REJUVENESCE NO ESPAÇO!

12.4.19 Simone Galib 0 Comments

      Estaria surgindo a fonte da juventude? A NASA acaba de divulgar os resultados de uma pesquisa inédita que avaliou os efeitos no organismo dos astronautas que passam muito tempo no espaço.
 
   Publicado na revista Science, o Twin Study (estudo dos gêmeos) analisou as mudanças vivenciadas pelo astronauta Scott Kelly, que ficou 240 dias na Estação Espacial Internacional, entre 2015 e 2016.

   Os dados foram comparados aos de seu irmão gêmeo Mark, que permaneceu na Terra. Os astronautas aposentados passaram por vários procedimentos antes, durante e depois da missão de Scott, que estava então com 52 anos.

  As amostras foram enviadas para a Terra, frescas ou congeladas, para a pesquisa inédita que envolveu mais de 80 especialistas de 12 universidades.

MARK, À ESQ., E SCOTT KELLY              FOTOS NASA/DIVULGAÇÃO
     Alguns resultados já eram previstos, como perda de densidade óssea, alterações na microbiota (conjunto dos microrganismos de um ecossistema, como a intestinal) e na estrutura do globo ocular.  

   Porém, um deles os cientistas não conseguiram explicar: Scott rejuvenesceu no espaço.

   Surpresos, constataram mudanças genéticas, entre elas a dos telômeros, que são as extremidades dos cromossomos (semelhantes às pontas dos cadastros dos tênis).

  Eles garantem a replicação correta durante a divisão celular, protegendo o material genético. 

  Os telômeros encurtam à medida à medida que ficamos mais velhos e o estresse seria uma das causas. Por isso, são considerados a chave do envelhecimento.

   Esses fatores aumentam o risco de doenças, como problemas cardiovasculares e alguns tipos de câncer. Os de Scott foram alongados no espaço. 

    Outras mudanças interessantes foram registradas na expressão gênica (ela reflete como seu corpo reage às pressões do ambiente). 

  As alterações foram registradas nos genes de Scott que ajudam o corpo a produzir mais energia e aos relacionados ao sistema imunológico.

  Porém, não se animem muito: quando Scott voltou à Terra, seus telômeros se encurtaram rapidamente, ficando ainda mais curtos do que antes da missão. Isso poderia acelerar o processo de envelhecimento.

    Sobre a alteração dos genes, mais de 90% deles voltaram ao normal seis meses depois.

    Resumindo: a fonte da juventude só existe, por enquanto, no espaço sideral. Aqui, temos que seguir o fluxo!
   

    #Nasa, #TwinStudy


0 comentários: