NÃO CAIA NO LOBBY DAS CIAS AÉREAS, PRESIDENTE!

31.5.19 Simone Galib 0 Comments

     O presidente Jair Bolsonaro ainda não decidiu se vai sancionar o fim da cobrança de bagagem pelas companhias aéreas, aprovado pelo congresso. Mas, o lobby age rápido - contra o passageiro, é claro! 

     A Anac (Associação Nacional da Aviação Civil) argumenta que, se aprovada, a medida vai dificultar a chegada das companhias aéreas de baixo custo no Brasil. E tem gente acreditando nisso. Cuidado! 

    Há pouco mais de três anos, o mesmo lobby conseguiu convencer o parlamento que as companhias iriam oferecer tarifas mais baixas em troca da cobrança de bagagens. Elas mentiram!

    Além do transtorno causado na vida do passageiro, não cumpriram a promessa, aumentando as tarifas das passagens aéreas sucessivamente. Aliás, este foi o principal argumento entre deputados e senadores para derrubar a cobrança.

    E, pior: os preços para o despacho também são reajustados para cima, variando de R$ 60 a R$ 120 por bagagem. Sem falar no que é cobrado pelo excesso (acima de 23 kg), inclusive nos voos domésticos.

   Agora, também estão cobrando a bagagem de mão porque os bagageiros dos aviões não comportam as malas que os passageiros carregam para fugir da cobrança.

   Esse tipo de franquia é tão confuso que muitos não entendem até hoje por que há tanta variação de preços de uma companhia para a outra para o mesmo serviço. Se você compra pelo site tem um preço, no balcão outro... enfim é o Brasil, onde tudo vira uma espécie de leilão.

   No exterior, a franquia até pode funcionar. Há preços realmente baixos para quem não embarcar com bagagem nas promoções relâmpago. Então, pagar para despachar torna-se vantagem real. Lá, as empresas geralmente não cobram por malas em voos domésticos e até internacionais. É tributado apenas o excesso de peso.

   Aqui não. Nossas passagens aéreas são caras e despacho de malas não é um serviço extra, mas essencial no transporte aéreo. Bagagem é uma necessidade do viajante. Portanto, esse serviço já está incluso no cálculo da tarifa e as esteiras vão continuar funcionando. Assim, pagamos duplamente por isso.   

    As companhias aéreas estrangeiras conhecem o potencial do mercado brasileiro. Sabem que vão lotar seus voos, principalmente os domésticos, porque hoje há mais procura do que oferta. E brasileiro adora viajar!

  Então, não será a cobrança de bagagens que as afastarão do mercado. Ao contrário, a concorrência é uma ótima reguladora de preços!

    Bolsonaro estaria inclinado a concordar com o que decidiu o legislativo, mas disse que só vai decidir aos 48 minutos do segundo tempo. 

   Que o gol seja, então, para o time dos consumidores. A gente não aguenta mais arcar com o excesso de peso dos impostos! 
    
#bagagem, #ciasaereas      

   

  

0 comentários: