100 T DE PETRÓLEO NAS AREIAS DO NORDESTE: CADÊ OS AMBIENTALISTAS GRINGOS?

8.10.19 Simone Galib 0 Comments

       
          O derramamento de petróleo no litoral do Nordeste já é considerado o maior desastre ambiental no Brasil: mais de 100 toneladas de óleo foram retiradas das praias. 

        Foi o que informou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em seu Twitter depois do sobrevoo que fez nesta segunda-feira, 7, no Sergipe. Salles publicou fotos da inspeção na praia. O governo local decretou estado de emergência.


     Nove estados estão contaminados. Na Bahia, o último a registrar as manchas de óleo bruto, o problema é ainda maior porque coincide com a desova das tartarugas marinhas do Projeto Tamar.

   
       É nesta época do ano que elas costumam colocar seus ovos na areia e os filhotes são lançados em direção ao mar. Para evitar contaminação e morte, o Ibama está mantendo 600 tartaruguinhas em tanques. 


      O presidente Jair Bolsonaro pediu à Polícia Federal que investigue o caso. Ele não descarta a possibilidade de ter sido um ato criminoso. Ambientalistas internacionais, tão preocupados com a Amazônia, ignoram a tragédia na costa brasileira.

    O que se sabe até agora é que o petróleo bruto derramado não foi produzido no Brasil. Amostras e dois barris encontrados na areia foram levados ao Rio para análise, enquanto pesquisas por satélite tentam descobrir sua procedência. Há indícios de que seja da Venezuela. Mas, ainda nenhuma confirmação oficial sobre isso.  

      As manchas surgiram no início de setembro e, tão logo começaram a se espalhar pelo litoral, uma força-tarefa, formada pela Marinha, Ibama e ICMBIO passaram a monitorar os 42 municípios atingidos.

      Além de afetarem a fauna e a flora marinhas, o derramamento pode prejudicar o turismo da região. Caso seja comprovado o acidente ambiental, a multa varia de R$ 5 milhões a R$ 50 milhões.

0 comentários: