CORONAVÍRUS: JÁ SÃO 426 MORTES E O NÚMERO DE INFECTADOS SÓ CRESCE!

3.2.20 Simone Galib 0 Comments

       O último boletim informa que 426 pessoas morreram e há mais de 20,4 mil infectadas em cerca de dois meses na China. A maioria das vítimas fatais (414 pessoas) estava na província de Hubei, o epicentro do surto.

    Foi confirmada nesta segunda-feira (3), a primeira morte em Hong Kong. No domingo, também uma pessoa morreu nas Filipinas. São os dois primeiros casos fora da China.

   O governo chinês adiou a volta às aulas, pede que os funerais sejam mais curtos e que as festas de casamento, adiadas para evitar maior contato entre as pessoas. Há registros da doença em 24 países.

    O aumento dos casos de coronavírus deixa em alerta vários países, até mesmo aqueles que ainda não registraram nenhum caso da doença, como é o caso do Brasil.

    Muitos dizem que as notícias são alarmistas e que induzem as pessoas ao pânico. O próprio governo chinês fez nesta segunda-feira (3) duras críticas aos Estados Unidos.

    "O governo americano foi o primeiro a retirar os funcionários do consulado em Wuhan e a impor aos cidadãos chineses uma proibição de entrada no território", afirmou Hua Chunying, porta-voz da diplomacia em Pequim.

      Os EUA não foram os únicos: a Austrália e alguns países da Europa adotaram medidas semelhantes, fechando suas fronteiras aos chineses, considerados alguns dos maiores viajantes do planeta. 

      É  compreensível a reação da China, que está ficando cada dia mais isolada e corre o risco de sua economia desacelerar, enquanto o vírus acelera.

     Mas, há razão para tanta precaução?

     O fato é que o número de mortos pelo coronavírus na China continental já ultrapassou o das vítimas da epidemia SARS que, entre 2002 e 2003, matou 361 pessoas.

          Na semana passada, o presidente Donald Trump publicou um tweet dizendo que estava recebendo dados das principais agências de informações americanas, "as melhores do mundo", segundo ele. Logo, na sequência o governo americano tomou medidas preventivas mais radicais.

     Trump teria informações que os outros países não têm sobre o surto? Os EUA decretaram estado de emergência pública e preparam um grande esquema de quarentena para os passageiros vindos da China em três bases militares. Estariam sendo apenas atitudes alarmistas com o intuito de levar pânico e prejudicar os chineses? 

     Aqui no Brasil, onde existem 14 casos suspeitos sendo monitorados e nenhum confirmado, surgiram as mais acaloradas discussões sobre o tema.

     Primeiro, criticaram o governo por não repatriar os mais de 50 brasileiros que estão em Wuhan, a capital da província de Hubei. Neste domingo, o governo anunciou que vai buscá-los e, a exemplo dos EUA, decretou estado de emergência.

    Os "especialistas" brasileiros, que comentam até mesmo o que não sabem, já saíram alardeando ser um absurdo decretar emergência pública se não temos ainda nenhum caso.     
      
    Eles desconhecem, claro, ser necessário esse tipo de decreto para agilizar as licitações, como a compra de máscaras e medicamentos, além de facilitar o gerenciamento da eventual epidemia por parte do Ministério da Saúde.

      Os países mais adiantados estão fazendo isso preventivamente. Por que no Brasil tudo tem que ser diferente? Não há ainda motivo para pânico. Mas, existem razões de sobra para cautela e ações frequentes da vigilância sanitária.

    Quando se trata de saúde pública, com a iminência de uma epidemia global, não podemos lançar esta discussão à seara da polarização política.

     É preciso, sim, agir rápido e estar preparado!

       

     



0 comentários: