GUEDES X EMPREGADAS DOMÉSTICAS: ENTENDA COMO DISTORCERAM O DISCURSO DO MINISTRO!

14.2.20 Simone Galib 0 Comments

         Intrigada com a repercussão (negativa) das declarações do ministro Paulo Guedes sobre "as viagens à Disneylândia das empregadas" com o dólar a R$ 1,80 fui buscar uma explicação que justificasse tamanho alarde feito pela mídia. 

         Não levei nem cinco minutos - bastou assistir ao vídeo - para descobrir que o pensamento de Guedes, exposto em um seminário em Brasília, foi tirado propositalmente do contexto para deixá-lo em uma saia justa perante a opinião pública.

         O assunto viralizou nas mídias sociais, a associação das empregadas domésticas se manifestou, outras pessoas se sentiram ofendidas com tanta "arrogância" a ponto de perguntar a ele: "Em que país o senhor vive"? Ou: "Cada um passa férias onde quiser" (para citar apenas alguns comentários).

        Se os autores dos textos publicados tivessem exercido o verdadeiro jornalismo - informação correta - sabe qual seria o título dessas matérias?


    Dólar alto favorece o turismo doméstico e a economia do país

       Ah... mas aí teria alguma graça? Com essa manchete quem iria ler, repercutir, criticar, compartilhar e ganhar milhares de likes? Onde entraria a intriga, a polêmica nas redes sociais? Se podemos usar uma frase de efeito fora do contexto, por que não? 

    Então, dentro do contexto, o ministro disse:


   "Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Vamos exportar menos, substituir importações, turismo, todo mundo indo para a Disney, uma festa danada. Vai passear ali em Foz do Iguaçu, vai passear no Nordeste. Vai conhecer o Brasil, entendeu?"

     Como se já soubesse que suas frases seriam distorcidas, explicou:


  "Antes que falem 'o ministro diz que a empregada doméstica está indo para a Disnelândia... Todo mundo tem que ir um dia para conhecer, mas não três, quatro vezes por ano. Vai três vezes para Foz do Iguaçu, Chapada Diamantina, conhece o Brasil. E na quarta vez, você vai para a Disney"

   E completou:

   "O ministro está dizendo que o câmbio estava tão barato que até as classes mais baixas iam para a Disneylândia." 

    Claro que as viagens internacionais ganham fôlego com dólar mais baixo. E, talvez, ele não tenha sido muito feliz no exemplo citado.

     Mas, tirar as frases do contexto só para criticar a política econômica do governo e trazer transtornos para Paulo Guedes é antijornalismo.

     Por isso, quando o alarde for muito grande, duvide. Procure um aúdio ou vídeo na web e tire suas próprias conclusões! 
         
        

        


         
          

0 comentários: