QUARENTENA DO LUXO: GRIFES FECHAM LOJAS NA CHINA!

7.2.20 Simone Galib 0 Comments

       As grandes marcas de luxo já sentem - no bolso - os efeitos da epidemia de coronavírus. Grifes como Burberry e Estee Lauder fecham lojas na Ásia e cortam previsões de lucro. 

      Na Ásia, shoppings estão fechados, as poucas lojas abertas funcionam em horário reduzido e não há clientes, disse Stefano Sassi, CEO da Valentino na Itália, à agencia Reuters.

     A Burberry fechou mais de um terço de suas lojas na China continental. A Ralph Lauren também fechou cerca de metade de suas 110 lojas no país, enquanto a joalheria Pandora diz que os negócios estão parados.

       Os chineses têm paixão pelo luxo. Eles gastam cerca de 100 bilhões de euros em produtos pessoais sofisticados, o que representa um terço desse mercado global. A maioria das compras é feita no exterior.

     Na Europa, os chineses desembolsam em média 790 euros por compra, valor que pode chegar até 2,8 mil euros, caso incluam joias.

     O mercado premium na Itália está em alerta. Afinal, moda e luxo representam 50% da balança comercial do país, que recebe 5 milhões de turistas chineses por ano.

     Eles gastam muito em suas cidades prediletas para compras: Roma, Florença, Veneza e Milão. As lojas de grifes ficam abertas de domingo a domingo para atendê-los.

SEM CLIENTES

     Agora, com cidades inteiras isoladas na China, voos cancelados e restrições de entrada dos chineses em vários países, este setor enfrenta grande impacto nas vendas. 

     Algumas companhias aéreas suspenderam seus voos, não apenas para a China continental, como também para Hong Kong, que está entre os cinco principais destinos do turismo de luxo do mundo.  

     E em Hong Kong há o agravante de que a epidemia de coronavírus atingiu marcas de luxo quando elas ainda se recuperavam dos violentos e longos protestos em 2019 naquele país.      
         
    O surto também coincidiu com o feriado do Ano Novo Lunar chinês, cujos festejos foram interrompidos. Em 2019, os chineses gastaram no mesmo período cerca de US$ 150 bilhões, incluindo viagens e restaurantes.

     Mas, enquanto o surto não é controlado, para os chineses, luxo mesmo é ter saúde!













0 comentários: