CORONAVÍRUS: PROCON-SP RECEBE MAIS DE 3 MIL RECLAMAÇÕES. SAIBA COMO DENUNCIAR!

18.3.20 Simone Galib 0 Comments

     A pandemia de coronavírus provocou uma corrida aos supermercados e às farmácias. Em São Paulo, não há crise no abastecimento, mas muitos aproveitam a alta demanda para elevar os preços de produtos. 

    Por exemplo, o álcool gel, que há uma semana era vendido por cerca de R$ 10, teve aumento de preços de até 400%. Outras remarcações acontecem em máscaras e luvas.

    Esses abusos resultam em muitas reclamações e denúncias nos órgãos de defesa do consumidor. Até esta quarta-feira (18), a Fundação Procon-SP registrou 3.411 atendimentos sobre problemas relacionados ao coronavírus.

    Entre os problemas, destacam-se cancelamentos de viagens e eventos, preços abusivos e ausência de produtos. As agências de viagens e os problemas com ingressos e eventos lideram o ranking dos consumidores irritados. 

    As reclamações estão sendo encaminhadas às empresas, que deverão apresentar soluções viáveis a cada caso específico. Já as denúncias serão apuradas pela equipe de fiscalização.

DIREITOS DO CONSUMIDOR

   Se você comprou pacotes de viagens, bilhetes aéreos ou ingressos para eventos, não é obrigado a expor sua saúde.

  Assim, as empresas devem negociar alternativas que não prejudiquem o cliente, como adiar a viagem/evento, restituir valores já pagos ou propor soluções que não prejudiquem o consumidor e com as quais ele concorde.

   Se nada disso der certo, você pode procurar o Procon-SP, que vai intermediar a negociação a fim de conseguir um acordo com a empresa. 

ALTA DE PREÇOS 
   
   Diz o Código de Defesa do Consumidor que elevar preços de produtos ou serviços é prática abusiva. Vale acionar o órgão, que solicitará esclarecimento junto ao fornecedor.

   Ele poderá responder a processo administrativo e até ser multado, caso a infração seja constatada.

SERVIÇO

 Canais de atendimentos à distância para intermediar conflitos e orientar consumidores:
 www.procon.sp.gov.br, aplicativo ou por meio das redes sociais. Basta marcar @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

 Para denúncias e orientações: telefone 151 (cidades atendidos pelo código 011) pode também ser utilizado para orientações e denúncias.

   









0 comentários: