ITÁLIA ISOLA 16 MILHÕES DE PESSOAS. MUSEUS E IGREJAS ESTÃO FECHADOS EM TODO O PAÍS!

8.3.20 Simone Galib 0 Comments


       Dificilmente os italianos vão esquecer os dias 7 e 8 de março, um fim de semana em que 16 milhões de pessoas, um quarto de sua população, foram isoladas na região da Lombardia, no norte.

     Cinemas, teatros, museus, academias, escolas, igrejas e atrações turísticas também estão fechados em todo o país. Lojas só podem ficar abertas se houver uma distância de um metro entre as pessoas. Caso contrário, os proprietários serão multados.

    O papa Francisco fez sua homilia dominical por streaming e se aproximou dos fiéis, por meio de telões, na Praça São Pedro, na Cidade do Vaticano. 
Papa gravou o Angelus na biblioteca do Vaticano e fiéis assistem pelo telão   Foto Vaticano News 

    Cidades, como Milão e Veneza, amanheceram neste domingo (8) tão desertas quanto Wuhan, na China, logo no início do surto. A catedral Duomo, símbolo de Milão, voltou a fechar.
Milão neste domingo: tudo vazio     Foto Twitter

      Essas medidas - as mais drásticas até agora - foram anunciadas pelo primeiro-ministro Gioseppe Conte, na noite de sábado (7) diante do crescimento da epidemia de coronavírus. 

     Em apenas 24 horas, houve aumento de 57% no número de vítimas fatais: 366 pessoas morreram, 622 foram curadas e mais de 6 mil infectadas.


      Agora, 14 cidades da Lombardia estão no que eles chamam de zona vermelha. Ninguém entra, ninguém sai. Viagens e demais deslocamentos, somente em casos de emergência. A Alitalia suspendeu seus voos e conexões no aeroporto de Malpensa, em Milão. 

    Surpresas e assustadas milhares de pessoas invadiram na noite de sábado as estações ferroviárias de Milão, quando souberam que toda a região seria isolada. Muitos queriam retornar para suas casas, enquanto outros buscavam se abrigar no sul do país.

    A situação atual da Itália, o segundo país do mundo com o maior índice da doença, repercutiu mundialmente e dividiu a opinião dos administradores de algumas regiões, que consideraram o decreto muito radical.

   Mas, a Organização Mundial de Saúde elogiou os esforços do governo italiano para conter a disseminação do vírus Codi-19, oferecendo todo o seu apoio.     

   O Ministério das Relações Exteriores estima que entre 70 mil e 90 mil brasileiros estão ou vivem nessa área. Nenhum ainda pediu para ser repatriado.

    Dezenas de turistas brasileiros também estão remarcando ou cancelando suas viagens para a Itália.  

       









0 comentários: