CHINÊS QUE DIZIA SER DA CÂMARA DE XANGAI É PRESO POR VENDER TESTES DE CORONAVÍRUS EM SP

11.4.20 Simone Galib 1 Comments

     A descoberta de uma quadrilha pela Polícia Civil de São Paulo, que vendia produtos médicos no mercado negro, vai dar o que falar: entre os detidos, está o chinês Marcos Zheng, que teria ligações diplomáticas com o governo da China.

    Marcos Zheng se apresentava no Brasil como presidente da Câmara de Comércio de Xangai, tendo participado de várias reuniões de negócios com políticos brasileiros do PSDB como representante do governo chinês.

   Ele recebeu voz de prisão neste sábado (11) por estar negociando a venda de milhares de testes rápidos contra o coronavírus por R$ 3 milhões. O interessado em "comprá-los" era um investigador da polícia, que desvendou todo o esquema. 

   Com os receptadores foram encontrados 2 milhões de máscaras de proteção e outros produtos médicos, como termômetros, roupas, toucas e também várias pistolas automáticas. Esse material, que seria de procedência chinesa, foi roubado do aeroporto de Guarulhos.

    O apresentador Datena mostrou a apreensão da carga (super valiosa hoje e que pode salvar vidas) em seu programa neste sábado (11) na Band.

À esq., o prefeito Marcus Mello e à dir. Marcos Zheng   Foto Reprodução
       Ele também entrevistou o prefeito de Mogi das Cruzes (SP), Marcus Mello, que confirmou ter participado de reuniões com Marcos Zheng. 

   Disse ainda que um grupo de prefeitos paulistas viajou em missão comercial à China, onde Zheng estava presente, fazendo a ponte entre os dois governos. 

   A Embaixada da China ainda não se pronunciou sobre o caso. Todos que atuavam na venda da carga também foram detidos.