NÚMEROS DA CHINA SÃO FALSOS, DIZ INTELIGÊNCIA AMERICANA!

1.4.20 Simone Galib 0 Comments

     Conforme mostramos aqui, os números de infectados e vítimas fatais da China não seriam verdadeiros. Nesta quarta (1º), a opinião foi reforçada pelo serviço de inteligência dos EUA que entregou um relatório à Casa Branca, informou a agência Bloomberg.

   O relatório é secreto e o seu conteúdo não foi detalhado, mas conclui que os números chineses são falsos, s
egundo três autoridades americanas,.

   O surto começou em Hubei, no final de 2019, mas o país registrou apenas cerca de 82 mil casos e 3,3 mil mortes, apontam dados da Universidade Johns Hopkins.

    O que chama a atenção é a velocidade da propagação na Europa e o fato de os EUA terem hoje mais de 189 mil casos e mais de 4 mil mortes, o maior número de casos no mundo.     
    
   Mesmo com o rígido bloqueio do governo chinês aos moradores de Wuhan, há um ceticismo geral em relação aos casos relatados pela China, tanto dentro quanto fora do país, diz a Bloomberg

   Além disso, chama a atenção o volume de urnas funerárias que são levadas diariamente aos necrotérios - cerca de 3,5 mil a cada 24 horas. E os moradores de Wuhan só poderão deixar a cidade a partir de 8 de abril.

   Elas devem ser entregues aos familiares até 4 de abril, quando eles comemoram no país o seu dia de finados. A estimativa é que mais de 40 mil pessoas tenham morrido na província de Hubei.

  "A alegação de que os Estados Unidos têm mais mortes por coronavírus do que a China é falsa. O Partido Comunista Chinês mentiu e continuará mentindo sobre o coronavírus para proteger o regime", disse o senador republicano Ben Sasse, de Nebraska.

     Segundo a Bloomberg, a China não é o único país com informações públicas suspeitas. Autoridades ocidentais apontaram o Irã, a Rússia, a Indonésia e, principalmente, a Coréia do Norte. Arábia Saudita e Egito também podem estar diminuindo seus números.

     O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, pede a todas as nações para coletar dados e compartilhar essas informações. "Estamos fazendo isso."

   "O desenvolvimento de terapias médicas e medidas de saúde pública para combater o vírus e salvar vidas dependem da capacidade de ter confiança e informações sobre o que realmente aconteceu", disse ele.

    A Casa Branca e a Embaixada da China não comentaram sobre o relatório secreto, diz a Bloomberg.




0 comentários: