BOLSONARO COM COVID-19: A HIPOCRISIA MUNDIAL TESTA POSITIVO PARA O VÍRUS!

7.7.20 Simone Galib 0 Comments

    O anúncio de que o presidente Jair Bolsonaro está com covid-19 - o segundo teste deu positivo nesta terça-feira (7) - é breaking news (notícias urgentes) nos principais sites internacionais.

    A narrativa da imprensa estrangeira também vem recheada de viés ideológico, a exemplo do que ocorre no Brasil. Boa parte acusa Bolsonaro de ter desprezado a doença. E alguns o denominam "líder anticientífico".

    Com uma foto gigante do presidente brasileiro, a manchete do site Business Insider diz:


 "Presidente brasileiro Jair Bolsonaro testa positivo para COVID-19 após desrespeitar repetidamente recomendações de saúde pública"

  E nos subtítulos ressalta:

"O presidente brasileiro conquistou a reputação de líder anticientífico"

"Em março, Bolsonaro descreveu o COVID-19 como "apenas uma gripezinha" 

   O jornal The New York Times seguiu a mesma linha na manchete do seu site.


Coronavirus Live Updates: Brazil’s President Tests Positive After Dismissing Precautions

Brazil is second only to the United States in virus cases, and its leader had come under fire for his handling of the pandemic. 

 Atualizações ao vivo de Coronavírus: Presidente do Brasil testa positivo após descartar as precauçõesO Brasil perde apenas para os Estados Unidos em casos de vírus, e seu líder foi criticado por lidar com a pandemia.

   O britânico The Daily News também deu ênfase à notícia


 Brazil's President Bolsonaro tests POSITIVE for coronavirus but says he feels 'perfectly well' and has only mild symptoms

  • Bolsonaro said in a TV interview that his fourth coronavirus test was positive
  • He has repeatedly played down the virus and mingled with crowds of supporters 
  • The country has suffered 1.6million confirmed cases and 65,000 related deaths

 Ele repetidamente minimizou o vírus e se misturou com multidões de apoiadoresO país sofre com 1,6 milhão de casos confirmados e 65 mil mortes relacionadas

  

    Aqui, no Brasil, desnecessário dizer que desde ontem tem muita gente comemorando a notícia e até uma hashtag no Twitter Força, Coronavirus está circulando desde segunda-feira.

   Sem falar nos comentários que circulam pelas redes sociais desejando a sua morte. Nunca se viu tanto ódio disseminado em tempo real.

   A mesma mídia, que publica o número de mortes 24 horas e diz defender a vida, é a mesma que agora tenta denegrir a imagem do presidente brasileiro, aqui e lá fora, um comportamento lamentável em se tratando de jornalismo profissional.

   Mas, a gente sabe que este é o mecanismo. Se fosse Donald Trump, o comportamento seria o mesmo. Ou até pior!

 O OUTRO LADO
   Pena que não divulgam tudo o que acontece, de fato, no Brasil desde que surgiu a pandemia: das multidões curtindo o Carnaval, quando o vírus já estava disseminado pelo mundo, aos desvios milionários nas verbas da saúde praticados por governadores de vários estados brasileiros.

   Temos também o oportunismo político explícito em relação à doença praticado por aqueles que viram na pandemia a grande chance de destruir o governo, a economia e o ativismo judicial que impediu o governo Bolsonaro de coordenar nacionalmente a grave crise sanitária.

    Assim, governadores e prefeitos tornaram-se os responsáveis por mandos e desmandos, atitudes tirânicas de prender pessoas nas ruas, violando direitos constitucionais, enquanto construíam hospitais de campanha milionários, que mal foram usados. Outros nem sequer inaugurados.

    Devemos lembrar ainda que o número de 65 mil mortes não é preciso, porque houve decretos governamentais exigindo que profissionais da saúde colocassem o coronavírus como a causa da morte da maioria de pacientes que dava entrada em hospitais, vítimas de outras doenças.  

   Falta ainda nesta narrativa a informação (esta, sim, crucial) de que Bolsonaro foi um dos primeiros presidentes a defender o uso da hidroxocloroquina para tratamento precoce da covid-19, sendo massacrado diariamente por políticos e a turma do "quanto pior, melhor".

   Embora o remédio, combinado a outros, tenha protocolo do Ministério da Saúde, inúmeros gestores se recusam até hoje a usá-lo nos hospitais públicos, principalmente na fase inicial da doença que evita as complicações. 

  E o presidente brasileiro já está sendo medicado com o remédio que tanto recomendou. Sua febre baixou, o pulmão está limpo e ele sente-se bem.

   Os jornalistas internacionais isentos deveriam passar uma temporada no Brasil antes de dispararem julgamentos precipitados de situações que desconhecem por completo, ou fingem desconhecer, porque este país é expert em burlar leis, mentir, corromper, desinformar. 
    
   Mesmo diante de todo esse quadro difícil, o Brasil tem mais de 1 milhão de pacientes recuperados, ocupando o 1º lugar no ranking mundial nesse quesito.

   Ao presidente Bolsonaro e a todos que estão sofrendo com esse vírus, nós só podemos desejar uma boa recuperação e muita saúde. 

  Aos que cultuam as mortes, aguardemos as leis de causa e efeito do Universo. Estas, sim, são infalíveis! 

0 comentários: