CIENTISTA DA OMS IMPLORA AOS LÍDERES MUNDIAIS QUE PAREM COM OS BLOQUEIOS

10.10.20 Simone Galib 0 Comments


    Basta de lockdown - e o alerta, agora, vem da própria ciência. O representante britânico da Organização Mundial de Saúde, David Nabarro, implorou aos governos que parem de bloquear seus países toda vez que as infecções por coronavírus aumentarem.

   Em entrevista à revista The Spectator, o cientista da OMS lamentou o colapso da indústria do turismo, alertando que haveria uma duplicação dos níveis de pobreza mundial e desnutrição infantil em 2021, porque 'os bloqueios tornam os pobres muito mais pobres'.

'Nós, na OMS, não defendemos os bloqueios como o principal meio de controlar este vírus", disse o médico.

  E acrescentou:
'Acreditamos que um bloqueio só se justifica para ganhar tempo a fim de reorganizar, reequilibrar seus recursos e proteger seus trabalhadores de saúde que estão exaustos. Mas, em geral preferimos não fazer isso."

 O médico também fez comentários severos sobre as graves consequências causadas pela paralisação da economia.

''Basta ver o que aconteceu com a indústria do turismo, por exemplo, porque as pessoas não estão tirando férias. Veja o que aconteceu aos pequenos agricultores, porque seus mercados foram prejudicados. Veja a desnutrição infantil, porque as crianças não estão recebendo refeições na escola e seus pais de famílias pobres não têm como alimentá-las".

  Para David Nabarro, “esta é uma catástrofe global terrível. Realmente apelamos a todos os líderes mundiais: parem de usar o bloqueio como seu método de controle primário. Desenvolvam sistemas melhores para fazer isso.'

  Essas avaliações são similares às feitas por mais de 6,5 mil médicos e cientistas, que divulgaram uma carta aberta pedindo o fim do bloqueio forçado.

 Os cientistas dizem que a maioria da população não corre o risco de morrer se pegar covid-19 e os esforços devem se concentrar nos mais vulneráveis.

Afirmam ainda que regras rígidas de distanciamento social estão impactando a saúde física e mental das pessoas. E defendem a volta à vida normal.

A carta, batizada de Declaração do Grande Barrington (em homenagem à cidade de Massachusetts onde foi escrita) pede aos principais especialistas e políticos que parem de fugir do coronavírus e aprendam a conviver com ele.

'Manter essas medidas em vigor até que uma vacina esteja disponível causará danos irreparáveis, com os desprivilegiados sendo desproporcionalmente prejudicados', alertam.

  Finalmente, a comunidade científica despertou










0 comentários: