24 PARLAMENTARES DA LOUISIANA PEDEM AOS REPUBLICANOS QUE NÃO CERTIFIQUEM AS ELEIÇÕES!

5.1.21 Simone Galib 0 Comments

 

     Os Estados Unidos vivem um momento histórico: 24 parlamentares republicanos da Louisiana estão convocando a delegação republicana do estado no Congresso para não certificar as eleições que deram vitória a Joe Biden e Kamala Harris.

    Eles argumentam que ainda há seis estados indefinidos - Arizona, Geórgia, Michigan, Nevada, Pensilvânia e Wisconsin - "devido à fraude na eleição presidencial", informa o The Epoch Times.

    Tudo isso acontece à véspera da reunião do Congresso nesta quarta-feira (6) para legitimar formalmente os votos eleitorais dos estados para o próximo presidente.

    Na carta enviada aos legisladores, eles afirmam que nesses seis estados "juízes não eleitos e irresponsáveis, além de pessoas não autorizadas, começaram a revogar as leis de integridade eleitoral, endossando, habilitando e incentivando a fraude".

    O documento diz ainda que "cada voto falso dado por, ou em nome de, um eleitor não qualificado ou inexistente para Biden/Harris rouba um eleitor legítimo e real de Trump/Pence, e cancela seu voto.

    Os parlamentares também enumeram outros motivos para não certificar as eleições dos seis estados, como autorização para votar aos não residentes, irregularidades em software de computador e alterações de leis sem autorização nas eleições de 2020.

   E acrescentam que houve irregularidades, como o caso da Geórgia, onde em um distrito eleitoral novas urnas foram encontradas sob uma mesa depois que os observadores foram para casa.

“Quer você seja democrata ou republicano, a honestidade na cabine eleitoral deve importar. A integridade das eleições deve ser preservada se quisermos permanecer uma nação livre. Todo eleitor destituído de direitos deve entrar em contato com seu congressista e senadores imediatamente ”, afirma a deputada estadual Valarie Hodges.

   Enquanto isso, milhares de apoiadores de Donald Trump continuam se dirigindo para Washington D.C, onde nesta quarta-feira decisiva realizam um grande protesto. 

   

    




0 comentários: