PFIZER TEM PARCERIA COM A CHINA EM PLATAFORMA DE PASSAPORTES DE VACINA!

29.12.21 Simone Galib 0 Comments

   A Pfizer fez parceria com uma plataforma de pagamento online do Partido Comunista Chinês para implantar os passaportes de vacinas na China, que têm sido usados desde o início da pandemia de covid-19.

   A união da gigante farmacêutica com os chineses ocorreu um ano antes do início do surto do vírus, conforme mostra um tweet de 6 de junho de 2018.  


 “Estamos orgulhosos de estar ao lado dos líderes da China e da @Alipay para apresentar novas soluções digitais para melhorar a educação sobre doenças e o acesso às vacinas, criando um futuro mais brilhante para as crianças chinesas”, diz o texto.

E acrescenta:

  “Estamos honrados por sermos parceiros da iniciativa 'Internet + Vacinação' da China”, aponta o gráfico que o acompanha, citando o gerente geral da Pfizer na China, Wu Kun.

  Na mensagem, também é revelada a parceria da empresa com a Alipay, plataforma de pagamento online chinesa originalmente fundada como uma ramificação da empresa Alibaba, ligada ao PCC.

  Além do comércio online, a Alibaba também esteve envolvida na "pesquisa, produção e reparo de armas e equipamentos para o Exército de Libertação do Povo" e tem um "profundo histórico de cooperação e colaboração" com a "burocracia de segurança do Estado" da China, diz o secretário adjunto para Segurança Internacional e Não Proliferação no Departamento de Estado dos EUA, Christopher Ford.

  Ainda segundo o Departamento de Estado dos EUA, a empresa é uma espécie de "ferramenta" do Partido Comunista Chinês ao qual auxilia no desenvolvimento de "vigilância e controle social facilitados por tecnologia".  


SINAL VERDE OU VERMELHO?

  Apesar de todas essas considerações, a Pfizer viabilizou a parceria em 2018 e em sua revisão anual declarou:

  "Estamos usando a Alipay, "com mais de 700 milhões de usuários ativos na China, para fornecer a necessária educação sobre doenças e vacinas. E para ajudar o país a atingir suas ambiciosas metas para 2030 de reduzir a mortalidade infantil, estamos explorando o uso da plataforma de pagamentos móveis para melhorar a conveniência nos pontos de vacinação chineses."

    O jornal The New York Times explica que os usuários preenchem um formulário na Alipay com dados pessoais. O software gera um QR code em uma das três cores.

  O verde permite que o usuário se mova sem restrições, enquanto o amarelo pode resultar num isolamento em casa por sete dias. Já o vermelho estabelece quarentena de duas semanas.

  Em várias cidades chinesas, é praticamente impossível circular sem o seu código Alipay. 










0 comentários: