SOB BLOQUEIO TOTAL, CIDADÃOS CHINESES ENTRAM EM PÂNICO E TEMEM 'MORRER DE FOME'!

4.1.22 Simone Galib 0 Comments

    A situação está caótica para os cerca de 13 milhões de habitantes da cidade de Xi'an, hoje o epicentro de covid na China Central. E eles temem "morrer de fome" dentro de suas casas.

  Na última semana de 2021, o número das infecções subiu ao seu ponto mais alto desde março de 2020, quando foi decretado o bloqueio em Wuhan, que virou modelo exportação para o mundo ocidental. 

  Dando continuidade à política de tolerância zero em relação ao vírus, o governo decretou um bloqueio ainda mais severo aos moradores, que dizem estar em pânico e correm o risco de passar fome, já que se aventurar para comprar comida virou uma perspectiva distante e praticamente impossível.  

  As medidas anteriores estabeleciam que apenas uma pessoa de cada família teria permissão para sair de casa e comprar mantimentos a cada dois dias.

  Com o aumento do número de casos, o governo estabeleceu que as as restrições fossem aplicadas de forma mais "rigorosa e adequada".

  Em outras palavras: confinamento geral. Só é permitida a saída para participar da testagem em massa que está sendo feita em locais chaves na cidade e ninguém pode ficar de fora. 

  As medidas estabelecem ainda que "nas zonas rurais as portas das casas sejam vigiadas" para que ninguém burle as regras.

  Segundo a CNN, as autoridades prometeram entregar produtos alimentícios, mas eles não chegaram a todos os bairros.

  "O confinamento é o mais caótico desde Wuhan", informa a CNN. O caso de um homem que foi agredido, no portão de um condomínio residencial por um agente sanitário, ao ter saído para comprar pão, viralizou no último final de semana. Vítima e agressor foram punidos pela polícia com sete dias de detenção e multa.

  Além da falta de comida, o bloqueio radical afeta também outras questões de saúde na comunidade e vem gerando uma enxurrada de críticas ao governo comunista. 

  Apesar da censura às redes sociais, na plataforma Weibo (muito parecida com o Twitter) o assunto principal era a dificuldade em comprar comida. 

  Uma conferência do governo sobre a covid, transmitida em live, foi invadida pelos moradores de Xi'an com pedidos de alimentos. Os organizadores cortaram então os comentários, diz a CNN. 

  Essa política de "covid zero" - com confinamentos severos e testagem em massa em tempo recorde - tende a se intensificar à medida que se aproximam os Jogos de Inverno, que Pequim vai sediar em fevereiro.

  Além disso, a China luta para preservar a imagem de sua economia e da eficiência de suas vacinas, avaliam especialistas.




0 comentários: